29 no dia 29 em 2009.

29 04 2009

 Há quinze anos atrás, quando eu pensava sobre o meu futuro, sempre tinha a idéia fixa que antes dos 25 estaria famoso, rico e beirando aos trinta, prestes a me casar e ter filhos. Naquele tempo eu vivia como quem sabe de tudo. Tinha certeza de muitas coisas e  eram poucas as situações que poderiam me surpreender. Achava que quando estivesse a porta dos trinta, seria com certeza muito mais esperto, realizado e claro…muito mais maduro.

  Ao chegar aos 25, não tinha feito muita coisa e a idéia de riqueza estava começando a me abandonar. Estava largando uma vida de vícios e sonhos materias por uma nova vida. Indo para um campo missinário, renúnciando boa parte de que planejei em busca de entender quem Deus realmente era e quem eu seria por consequência. 

  Chegando aos 29 percebi uma coisa:os garotos de 14 são pretensiosos. Eu tinha certeza sobre muitas coisa nessa idade e agora me sinto um idiota as vezes, por olhar a vida e não entender quase nada sobre ela. Eu era tão seguro sobre meu destino e hoje não faço idéia do que virá amanhã. Achava que dinheiro resolveria todos meus problemas  mas hoje sei que é ele o maior problema de todos. Antes via o amor com um sentimento que poderia nos trair a qualquer momento mas hoje vejo que amar é uma escolha diária e as vezes difícil, porém o amor ainda é melhor que qualquer outro sentimento.Toda manhã sou surpreendido por novo dia e nele coisas inusitadas e algumas até sem nexo devoram mais um dia da minha vida.

  Quase nada do que pensei aos 14 de fato aconteceu. Alguns sonhos ainda insistem. Alguns outros já rolaram e muitos outros ainda chegaram depois e desses, nem todos sobreviveram. Se me falassem há 15 anos atrás como seria minha vida hoje, eu daria boas risadas. Mas olhando para trás, imaginando se eu tivesse conseguido tudo que quis nessa época, me bate um tristeza profunda. Não porque jamais cheguei perto mas porque jamais poderia estar onde estou hoje. Moro num “apertamento” no alto da rua xv, sou casado com uma linda mulher, não tenho grana mas de nada tenho falta, não sou famoso como esperava antes mas tenho um certo reconhecimento e  isso já não importa tanto. Minha alegria está ligada a coisas que não são desse mundo, que poucas vezes tem trazido alguma felicidade. Filhos por enquanto não porque toda maturidade que achava que teria ainda não encontrei. Estou a porta dos trinta mas isso não me assusta mais.  De fato muitas coisas deram errado, ou será que deram certo!? 

D.Distler.





Sobre nós.

22 04 2009


  JUNTOS SOMOS MELHORES. 

  Este é nosso slogan como igreja Metodista Cristo Rei em 2009. Os desafios que enfrentamos são 

facilmente vencidos quando estamos juntos no mesmo objetivo. Os três primeiros meses em Curitiba 

foram intensos. 

img_4044

  Nossa foco maior desde que chegamos na igreja  

são os jovens. Nosso primeiro culto com eles, em 

janeiro, tínhamos apenas cinco. No último sábado, 

véspera de páscoa, contamos vinte e cinco!(sendo 

pelo menos uns 6 ainda não cristãos) Tem sido um 

aprendizado constante trabalhar por eles. Investir 

tempo em criar maneiras novas de

jovens do Cristo Rei

jovens do Cristo Reifalar sobre velhos

assuntos e caminhar 

mais próximos de 

alguns deles, 

visando prepara-los 


para uma futura 

liderança. Deus tem 

feito a parte dEle a medida que fazemos a nossa. 

  Outra área em que temos atuado é o ministério de 

louvor. Apesar 

de estarmos a três

dannilella-nova1

 meses por aqui, somente 

domingo retrasado começamos o trabalho. Será um 

desafio grande.  Mas estamos animados para começar um 

discipulado com os músicos e redefinir toda 

sistemática de ensaios. 

  Enquanto isso estamos passando por um período 

“preparatório” em nossas vidas. Na igreja estamos 

participando do treinamento para lideres de célula, 

segundo a visão metodista. Comecei em março o 

Cemetre (curso de formação teológica pastoral) 

dsc06869

com duração de quatro anos. A igreja está bancando 

as despesas. Também eu e Lella estamos tendo aula 

de teoria musical juntos e separados temos, eu aula 

de violão clássico e Lella aula de canto. Tudo isso 

para aperfeiçoarmos nossas ferramentas para o 

chamado. Em breve queremos começar uma escola  

de música na igreja, com fins evangelísticos. 

  Além disso, Lella tem investido tempo se 

preparando para o vestibular de musicoterapia.

M.A.V

M.A.V


 

Mais uma vez, visando aperfeiçoar-se. 

  Na música, estou indo com calma na questão de 

voltar a tocar em casas noturnas. Não por falta de 

convites, mas por estar orando e esperando no que 

Deus já está movendo. Temos orado por alguns 

músicos não cristãos. É possível que ainda este mês

eu faça alguma apresentação.  Enquanto isso, em 

março voltei a Nicarágua,mas uma vez no Día de 

luz, onde repetimos a dose do

3389942081_b7dee36f2c

 ano passado mas 

com muito mais organização. Detalhes sobre a 

viagem você pode ver no

musicamorevida.wordpress.com/2009/03/25/nicaragua-2009/


  A Lella também viajou em março. Foi lecionar na 

ETED NITRO da vila do louvor. Aproveitando pra 

rever todo mundo. Infelizmente não pude ir, não

por falta de convite mas de tempo. 

  Enfim, nossa vinda à Curitiba tem gerado 

crescimento em nosso ministério, vida pessoal e 

foto53

espiritual. Estamos felizes como casal e servos de 

Cristo. 

Casal Distler.





Inconsciência!?

22 04 2009

   Outro dia estava assitindo na T.V  um programa em que um artista estava sendo entrevistado e entre város assuntos um me chamou  atenção.

  Ela comentava sobre um livro que havia lido, onde o autor, numa fase turva em sua vida, começou a fazer perguntas e percebeu que estas começaram a ser respondidas em sua cabeça e a medida em que continuava a questionar, inicio-se um diálogo. O ponto principal dessa conversa, o artista na T.V prosseguia explicando,era o fato de que todos somos um e entendendo isso, certamente teríamos menos atrocidades no mundo, já que entenderíamos que o ser humano ao lado é parte de mim e parte de você, ou seja, seríamos mais cuidadosos uns com  outros, já que todos somos um.

  Segundo o autor do desse livro,numa determinada altura começou a se perguntar se essas respostas estavam vindo de Deus ou sera apenas o seu inconsciente .  resposta veio assim: ” isso não importa, ambos são a mesma coisa” . Então seria Deus o nosso inconsciente e nosso inconsciente seria Deus?!                                                                                           

   Crer dessa forma é como pensar que o aquário inventou o peixe. Primeiro que o conceito de que todos somos um só pode ter sentido se estiver dentro de seu contexto correto. Não somos todos de fato um só. Se fosse assim todo exercício de amor e fraternidade seria apenas puro egocentrismo egoísta de quem por amor a si mesmo, se exalta  se pondo em primeiro lugar. Seguindo o pensamento, eu teria interesse no bem do outro porque o outro também sou eu. E ai está a confusão: o outro não sou eu mas sim um semelhante  a mim e de igual valor. A aplicação de que todos somos um é correta quando entendemos que todos somos parte de um todo, com diferenças que se somam. Cristo nos ensina a seguinte lição: “-amem-se uns aos outro como eu vos amei”. Ou seja, indivíduos distintos que devem se unir para serem um em pensamento, em trabalho, justiça e amor. Isso deveria ser a igreja.

  Quanto a “inconsciência divina”, só posso argumentar dizendo que até mesmo o que entendemos por inconsciência, tem uma razão desconhecida de ser como é. Crer que a voz do inconsciente é Deus seria como elogiar um quadro por estar pintado ao invés de elogiar o pintor. É certo pensar que o quadro revela um face de seu criador mas achar que ambos são a mesma coisa é um ato de estranha burrice. Deus está muito acima do próprio consciente humano. A razão pela qual aquele autor teve suas respostas respondidas é o desejo de Deus se revelar para as pessoas. O problema está no fato das pessoas só quererem ouvir Deus até onde é conveniente, ou seja, enquanto não for necessário mudar paradigmas e sofismas. A partir disso, erroneamente passam a ouvir uma outra voz, que vem do dentro de nós como um eco do pecado, outra vez, nos levando a provar o fruto de um antigo jardim.

  Enquanto assistia aquela entrevista, via passar diante dos meus olhos mais uma oportunidade para o mundo saber a verdade sobre Deus, ou pelo menos estar mais próximo dela. Não falo isso não como quem possui a verdade mas como quem tem caminhado por um caminho que leva até ela. Não possuo a verdade mas na busca por ela, acabei por ela sendo possuído.

 D.Distler





16 04 2009

 

Hoje choveu aqui em Curitiba…tudo bem que isso chega a ser um pleonasmo se tratando deste lugar, mas foi uma chuva que me pegou de surpresa. Nao era qualquer chuva. Era aquela chuva. Aquela que te deixa sorrir, que traz a tona todos os sentimento possiveis sobre viver. Traz aquela sensaçao gostosa e quase rara pra mim de que nao estou apenas sobrevivendo…e sim degustando. Adoro essa palavra.

Sendo assim, hoje eu degustei aquela chuva. Degustei a vida, degustei a paisagen urbana de Curitiba, degustei minha presença…Experimentei Deus.

Estava correndo, junto ao meu amado…refletindo como as coisas pra Deus correm de uma maneira musical…poética, quase que instrumental. Sinto-me parte dessa musica é a conclusao que cheguei. Gosto de sentir isso, gosto desses momentos em que a natureza te faz sentir parte e quando ela começa a deduzir coisas como: vc precisa fazer isso mais vezes. Correr? Penso eu, nao! Aproveitar. Olhar e sorrir, viver. chuva-thumbchuva-8

 

 

 

 

 

 

 

L. DISTLER





8 04 2009

 

raul-seixas-1

Tem dias que a gente se sente
Um pouco, talvez, menos gente
Um dia daqueles sem graça
De chuva cair na vidraça
Um dia qualquer sem pensar
Sentindo o futuro no ar
O ar, carregado sutil
Um dia de maio ou abril
Sem qualquer amigo do lado
Sozinho em silêncio calado
Com uma pergunta na alma
Por que nessa tarde tão calma
O tempo parece parado?

(trecho da música “as profecias” de Raul Seixas)

bem a calhar hoje…..





Racional!

6 04 2009

  O otimismo irracional é a única forma de otimismo concreto, pois o otimismo racional, tende por equilibrar o que é bom e ruin, a ponto de nos acomodarmos entre os dois.

  Já o irracional faz com que o homem comum possa odiar o mundo o bastante ao ponto de querer muda-lo e ama-lo o suficiente para crer que a mudança valha a pena.otimista

  Nesse ponto, o otimismo versus pessimismo equivalem ao mártir versus o suicida, já que o  mártir morre por seu propósito , ligado diretamente a preocupação com o mundo  que o cerca enquanto o suicida morre justamente pelo oposto. Seguindo a analogia, são muitos os suicidas….

  Ora, nossa crença está em algo muito superior às coisas desse mundo. Porém é nesse mundo que vivemos. Isso exalta o fato de estarmos em “casa” nesse mundo e ao mesmo tempo sentir-se longe dela.

  A beleza está em nos mistérios e coisas que não entendemos. Uma baleia, antigamente era um assustador e gigantesco mostro marinho que assombrava os pensamentos dos marujos em alto mar. Hoje não passa de um dócil mamífero grande que vive nele. As coisas perdem sua beleza quando perdem seu mistério.imagesbaeia

  Andamos um pouco indiferentes com o mundo, porque estamos desvendando (ou tentando desvendar) todos seus enigmas. Na crença que ,entendendo melhor, amaremos melhor, passamos a desprezar-lhe  como uma criança faz com o brinquedo que não lhe aguça mais o interesse.

  Toda essa racionalidade tem nos tornado tão céticos, que o pouco amor que resta em nós, não faz muita diferença. Quando amamos uma coisa por suas qualidades também a odiamos por suas falhas. Esse equilíbrio acaba nos amortecendo. Pois nos limitamos ao que nos interessa e evitamos todo o resto. Sem perceber passamos a amar a beleza do mundo e ignorar toda maldade que existe nele. Não há mais mistérios. Não há mais enigmas. Sabemos exatamente o que estamos fazendo e fazemos de olhos fechados. Tudo no completo equilíbrio da razão. ei6woz

  E quanto ao amor que transcende essa razão?! O amor maior que a maldade e por sobre ela?! O amor incondicional e acima de tudo, misterioso?! Este só é encontrado por aqueles que triunfam sobre todo racionalismo, todo equilíbrio e controle e aos que passam a depender de um fé louca em coisas que ainda não se vêem, mas se esperam. Encontrado naquilo que é confuso como imagem distorcida no espelho e ao mesmo tempo claro como o sol. No que revela nossa fraqueza e nos torna forte por meio dela. Que nos faz perder a vida para que a encontremos. No entendimento de que o homem é só um sopro. Um palmo de vida em uma eterna e misteriosa mão e que toda sabedoria se fez louca para enganar os sábios. Ou em um mestre que morre como ladrão  e ressuscita com Rei. Ou ainda num conto de fadas, em que toda lógica é questionável e a salvação depende de tomar uma decisão ou jamais tomá-la. Enfim no misterioso espaço que há entre o que vemos e o que um dia veremos, crendo com um otimismo irracional e munidos de todas essas coisas, podemos  navegar tranquilos no infinito mar da imaginação até chegarmos numa nova terra e num novo céu.

D.Distler  (meditações sobre o livro Ortodoxia)





Dia da verdade.

3 04 2009

images21  Há dois dias atrás ” comemoramos o dia da mentira. É a oportunidade que as pessoas tem de poder fazer aquelas brincadeiras ou piadinhas de mal gosto e dizer” primeiro de abril” e tudo acabar em risadas. Interessante como as pessoas de certa forma curtem sacanear e serem sacaneadas nesse dia, sendo a mentira o ponto alto de toda brincadeira.images1

  Tudo começou em 1564, quando Carlos IX, rei de França, por uma ordonnance de Roussillon, Dauphine, determinou que o ano começasse no dia primeiro de janeiro, no que foi seguido por outros países da Europa. É claro que, no início, a confusão foi geral, de vez que os meios de comunicação ainda eram inexistentes. Não havia rádio, televisão, nem mesmo o jornal, pois a invenção da imprensa, por Gutenberg, só aconteceu muitos anos depois. Até então o ano novo era inaugurado no dia primeiro de abril. A partir disso muitos passaram a brincar com a data, mandando presentes estranhos ou pregando peças à aqueles que ainda não sabiam da novidade.

  Falando em novidade, descobri recentemente que hoje, dia 3 de abril se comemora o dia da verdade! é verdade! pode pesquisar. Procurei saber mais sobre sua origem mas não há indícios de como e porque se comemora essa data. Fiquei pensando: ” e se tivéssemos o mesmo raciocínio nesse dia em relação ao dia da mentira?!” imagina só…sair por ae falando a verdade às pessoas. pregando peças do tipo…” olhe não conte comigo nessa situação, não posso te ajudar” e no instante seguinte estar lá, pronto a fazê-lo. Ou ainda não se comprometer com determinado assunto e logo em seguida dar tudo de si por ele. Se negar a dar alguma moeda a um pedinte e depois dizer:” terceiro de abril!!” lhe dando tudo que tem na carteira! Ou então em tudo que você falasse nesse dia, dissesse inteiramente a verdade, incondicionalmente…….nada_alem_da_verdade_logo

 

  Imagino que muitas mais que as brincadeira de primeiro de abril, as brincadeiras do terceiro de abril, trariam mais felicidade, alegria, comunhão e leveza ao mundo. É uma pena não brincarmos assim nesse dia!

  Pensando em verdade, não me sai da cabeça o fato de conhecer a verdade como uma pessoa- Cristo. Seria demais, no dia da verdade sair por ae proclamando essa verdade. Mais ousado ainda, vivendo essa verdade! Sendo essa verdade para o mundo, para as pessoas. Uma verdade reveladora, que libertaria as pessoas de sua liberdade egoísta e aquele senso de apenas confiarem em si. Lendo  Ortodoxia de G. K. Chesterton me deparei com a seguinte afirmação: homens que confiam em si mesmo acabam em asilos de lunáticos. Isso porque o coração do homem é enganoso e quem tem a si como referencial acaba por criar uma verdade só sua. E quem ir contra ela simplesmente é desconsiderado. Me parece ser assim que pensamos hoje.

 

livro ortoxia de G.k. Cherterton

livro ortodoxia de G.k. Cherterton

 

  A verdade tem por mérito nos conduzir pelo caminho da vida, de forma consciente e reta, nos moldando na caminhada, conforme nós aproximamos dela. A verdade nem sempre é o que achamos melhor, mas sempre é o melhor para nós.

  Jesus disse: “eu sou o caminho, a verdade e a vida e ninguém vem ao Pai senão através de mim” (João 14:6). Muitos podem achar isso pretensioso e outro ainda acreditarem que é mentira. Bom em ambos o casos penso que , se fosse pretensão não seria maior que a nossa como seres humanos,de acharmos que sabemos o que estamos fazendo com nossas vidas e com o mundo, já que  é óbvio que não sabemos.Portanto ainda prefiro acreditar na pretensão de um homem acima da média que desafia o mundo  afirmando ser a verdade do que ter em mim a pretensão de tentar sê-la. Por outro lado se fosse mentira, seria a mentira mais segura de se acreditar de todos os tempos. Pois nunca vi tanta gente junta por tanto tempo tentando provar um mentira enquanto ela permanece verdadeiramente imutável em seu conceito,como verdade, enquanto tantas outras afirmações vão mudando ou perdendo a força ao passar dos anos até se tornarem mentiras. Há quem as prefira.

  Pensando bem, talvez não devamos comemorar o dia da verdade como fazemos com a dia da mentira. Afinal um dia não faz muita diferença em nossas vidas e talvez por isso, todas as brincadeiras e sacanagens que fazem com a gente no dia da mentira passe com uma folha levada pelo vento. Penso que,love já que temos apenas um dia reservado para o dia da mentira, e este lembrado anualmente, de forma a ser celebrado, podemos nos esquecer do dia da verdade mas fazermos do todos os outros dias, dias de verdades, com abraços de verdades e pessoas bondosas de verdade. Em nossa busca por amor e carinho, temos que passar pelo vale das mentiras, do orgulho, egoísmo e auto suficiência para chegarmos ao vale da fraternal necessidade mútua e interdependência, ligados todos pela verdade sólida e segura do amor que tudo espera ,suporta e crê. As que já chegaram neste vale, bem vindos! aos que ainda estão no caminho, algumas dicas: a felicidade está em servir e não ser servido e o amor está em dar e não receber. a verdade não é um conceito mas sim uma pessoa. Abrir mão da sua vida é encontra-la e acima de tudo, Jesus acredita em você e por você é que ele morreu, para que a verdade pudesse ser o caminho seguro que leva você a se conhecer e enfim, conhecer Deus. 

  O propósito no fim é este: amar de verdade uns ao outros como também amarmos de verdade a nós mesmo e finalmente, amar a Deus com toda nossa razão, verdade e inteligência.

D.DISTLER